Temperamento!

De repente a porta se abre:
-O que ele queria falar com você?
-Nada de mais…
-Como assim nada de mais? – Interrompendo.
-Por que? Ele é meu amigo, ou pelo menos está se tornando.
-Sei… e é disso que eu tenho medo.
-Medo do que?
-Medo de você me esquecer.
-Deixa ser bobo.
-Tem certeza? Posso confiar em você?
-Deve.
-Olha…
-Tô falando sério!

Dois minutos se passaram:

-E aquele dia no lago?
-O que tem?
-É só ficar só, que já fica…
-Caramba… você não tem um outro assunto?
-Descupa.
-Hum.

Duas voltas depois:

-Vem cá.
-Fala.
-Por que a gnte não conversa com aquele pessoalzinho ali?
-Ah não!
-É… se eu não estivesse aqui…
-Porra! Para com isso!
-Desculpa?
-De novo.

Três segundo depois:

-Vamos comer alguma coisa?
-Vamos.
-O quê?
-Escolhe ai.
-Toda vez é eu quem escolhe.
-E o que tem?
-Depois eu que fico arrumando confusão.
-Tá, tá, tá… vamos comer ali mesmo.
-Mas você quer comer ali?
-Hrrrrrrr!!!
-Tá… beleza, desculpa!
-Fica de boa.
-Tá bravo comigo?
-Não.
-E por que está com essa cara?
-Puta merda viu!

“Mas quando penso em alguém
é por você que fecho os olhos…”
(Jota Quest)

About the Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may also like these

X